Cinco coisas que aprendi no programa de empreendedorismo do Founder Institute

Como criar uma startup sem meter os pés pelas mãos

Empreendedor

Eu tinha muitas dúvidas se o programa de criação de empresa do Founder Institute fosse me ajudar a colocar de pé uma ideia de negócio que surgiu no ano passado. Afinal, já tenho mais de 20 anos de experiência no desenvolvimento e gestão de produtos digitais. Mas a experiência em grandes empresas serve muito pouco quando você tem que criar um negócio sozinho do zero. 

Além disso, o mercado digital muda tão rápido que a verdade de dois anos atrás não é necessariamente válida hoje. E se você está construindo algo novo, tem que olhar para dois anos na frente. Ou seja, no mínimo você tem quatro anos de mudanças a considerar.

Assim, depois de três meses e meio de programa, aprendi muita coisa, especialmente que você ganha muito ao compartilhar sua ideia com as outras pessoas, de preferência desconhecidos. Exige uma boa dose de coragem e genuína humildade apresentar suas ideias para estranhos. Mas é o único caminho. Se você souber ouvir, vai superar o feedback eventualmente negativo e aprender.

Também aprendi outras cinco coisas que gostaria de compartilhar:

1 – Ouvir clientes reais o mais cedo possível

Por mais genial que a ideia possa parecer, não existe prova maior da validade de um negócio do que ouvir clientes reais o mais cedo possível no processo. Isso significa não desenvolver nenhuma linha de código antes de conversar com as pessoas que supostamente comprariam o seu produto.

Não se trata de perguntar aos clientes o que eles querem, mas entender profundamente a sua realidade, seu dia-a-dia, quais problemas eles enfrentam e especialmente porque eles os têm.

Se você partir da solução para depois procurar um problema há um grande risco de se apaixonar pela ideia e não conseguir ouvir claramente o que os clientes reais dizem. A forma de conversar com os clientes é crucial. Quanto mais abrangente e aberta for a conversa, melhor. Se você já é do ramo, fica mais fácil. Mas se você está querendo entrar em uma área nova, essas conversas iniciais servem para lhe colocar dentro daquele mercado rapidamente.

2 – Ouvir os clientes constantemente

Não basta fazer apenas uma rodada de conversas com clientes reais. É bom manter uma rotina de encontros ou telefonemas semanais. Primeiro porque você tem que avançar mesmo sem ter toda a informação (veja mais abaixo), mas também porque cada conversa aprofunda o seu conhecimento do mercado.

3 – Vender é a grande prova do seu negócio

Apesar de entender o mercado profundamente ser super importante, quando você efetivamente começa a vender a sua solução o aprendizado vem bem mais rápido. Somente o processo de preparar a solução para ser vendida já exige que você evolua rapidamente. Além disso não há teste melhor da sua proposta de valor do que colocar um preço e tentar vende-la. 

Isso não pode ser feito de qualquer jeito. Tratar o processo de venda inicial como mais uma rodada de aprendizado sobre os seus clientes exige que você consiga capturar informações durante esse processo. Por exemplo, talvez colocar o produto à venda no seu site e simplesmente contabilizar as suas taxas de conversão, não tragam informações sobre porque as pessoas não compraram. No começo, vender pessoalmente e olhar nos olhos do seu cliente é a forma mais rápida e fácil de aprender se a sua proposta é boa e o que precisa ser mudado.

4 – O feedback dos mentores é sempre válido

No programa do FI, você deve apresentar seu negócio quase toda semana para uma banca de mentores, sempre pessoas diferentes, empreendedores ou especialistas que trabalham em startups. É um grande desafio de resiliência e empatia. Como os mentores chegam com experiências, expectativas e até instruções diferentes, a avaliação que fazem do seu negócio não é uniforme. Uma mesma apresentação pode ganhar uma nota 5 em uma semana e 1 em outra.

Muitas vezes eles não entendem a sua apresentação mas no final das contas a culpa é toda sua. Se você não consegue apresentar o seu negócio de forma que qualquer pessoa possa entender, o problema é seu.

Outras vezes, os mentores discordam de suas ideias e sugerem outros caminhos. Cabe a você entender o que eles quiseram dizer, qual oportunidade aquela nova ideia apresenta e se ela se encaixa no seu mercado. Desde o meu primeiro pitch (foram oito no total), sempre consegui tirar algo para evoluir o negócio. Às vezes foram pequenos detalhes como mudar a ordem de dois slides que fizeram a compreensão ser muito mais fácil.

O processo de se preparar para o pitch também é muito importante. Refinar a apresentação, deixar somente o conteúdo que realmente importa, escrever o texto que você vai falar e pensar sobre cada palavra, ensaiar dezenas de vezes, gravar você apresentando e assistir repetidamente, anotar onde você pode melhorar, compartilhar com pessoas que nunca a viram e perguntar como você pode melhorar é o mínimo que você precisa fazer. Além de apresentar em 3 minutos, você ainda tem que transmitir confiança em você, no seu negócio e fazer tudo isso de maneira empática.

5 – Avançar sem perfeição

O programa do Founder Institute é intenso. São 13 sessões semanais com muito conteúdo e “dever de casa”. Eles dizem que precisa de 20 horas por semana para dar conta. Eu e meus colegas achamos que está mais para 40. Cada semana é um assunto diferente, customer development, marca, produto, vendas etc. Não há como fazer tudo perfeito. Ainda assim, considero que esse é o ritmo correto para uma startup. Você tem que avançar rapidamente, mesmo que nenhuma decisão seja definitiva.

É melhor avançar o negócio e voltar para consertar eventuais problemas do que perder tempo demais em um ponto só. Marca, por exemplo. Todos vão concordar que não há como decidir sobre marca em uma semana. Mas também não dá para perder muito mais tempo com isso com tantas outras coisas mais importantes, como entender o seu cliente profundamente. Assim, você avança com a marca que consegue no tempo disponível e depois muda se for necessário.

Se você quiser mais informações sobre o Founder Institute, acesse fi.co. Se quiser mais informações sobre o negócio que estou desenvolvendo entre em contato comigo ou acesse solozilla.com. Você também pode deixar um comentário abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *